Pinheiros, um cardápio de opções gastronômicas

Pinheiros, um cardápio de opções gastronômicas

Situado na zona oeste, Pinheiros é um dos bairros mais antigos de São Paulo, que se modernizou através de variadas opções de lazer e gastronomia.

O nome do bairro não é uma certeza para os pesquisadores, principalmente porque na área não havia pinheiros, o mais próximo disso eram as araucárias. Segundo o jornalista João Mendes de Almeida, em seu livro Dicionário Geográfico da Província de S.Paulo, discorre sobre a ideia de que os índios chamavam o rio de Pi-iêrê, que significa “derramado”, em tradução livre, pois a região era propensa a alagamentos.

 

História

Em 1560, após perderem disputas de território na região conhecida como Vila de São Paulo, um grupo de indígenas se instalou as margens do Grande Rio, atualmente conhecido como Rio Pinheiros. A região ficou conhecida como Aldeia dos Pinheiros.

Uma curiosidade do território é que devido a extensão dos terrenos baldios com vegetação espessa, desenvolveu-se uma grande quantidade de quilombos, locais aonde os escravos fugidos se escondiam.

No século XVII, o Caminho de Pinheiros era uma das principais vias de São Paulo, pois a ponte de ferro construída em 1865 dava acesso sem riscos as regiões mais ao sul do estado.

Em 1727, o rei Dom João V proibiu o uso de outras línguas que não o Português e o ensino de ofícios mecânicos passou a ser obrigatório, com isso a região perdeu seus traços culturais indígenas. O que foi agravado com o decreto do rei de Portugal, Dom José I, que em 1957 publicou o Diretório dos Índios, que resultou em uma discriminação estatal quanto aos direitos dos tupi-guaianás.

Ao longo do século XVIII, a Aldeia de Pinheiros perdeu suas qualificações culturais e passou a ser considerada uma vila portuguesa.

A região só se urbanizou na era de ouro do café e no final do século XIX, a região foi reconhecida como bairro de Pinheiros, tendo somente 200 casas.

Outra história curiosa é o motivo do nome Largo da Batata em um dos locais mais conhecidos de Pinheiros. A praça ganhou este nome por receber agricultores de Cotia que estacionavam suas carroças e comercializavam batatas, principal insumo produzido na cidade parceira.

 

Mobilidade

A localização privilegiada é garantida pelas estações de metrô Faria Lima, Fradique Coutinho e Sumaré. No bairro também se encontram duas estações da linha 9-Esmeralda, da CPTM, Pinheiros e Hebraica-Rebouças. Além das 37 linhas de ônibus que saem do Terminal Pinheiros.

As principais vias que passam pelo bairro são: Avenida Rebouças, Marginal Pinheiros, Avenida Brasil e a Avenida Brigadeiro Faria Lima.

 

Lazer

Com intensa vida cultural e gastronômica, as opções de lazer são variadas.

O Instituto Tomie Ohtake e o Sesc Pinheiros são algumas das opções culturais; já a Praça Benedito Calixto é a escolha certa para as manhãs de sábado, quando o local recebe uma feira de objetos e alimentos.

Conheça aqui outros locais que chamam a atenção do público visitante:

 

1. Arturito

O restaurante da chef Paola Carosella, jurada do programa Masterchef Brasil, encanta pelo ambiente aconchegante e pelo cuidado em cada pedido. Os pratos em seu cardápio são clássicos da culinária feitos a partir de produtos orgânicos, uma das causas que a chef tem orgulho de defender.

Vencedora de 5 prêmios do Comer & Beber, a cozinheira argentina também tem uma rede de lanchonetes chamada La Guapa e está no comando do Culinária & Voz, projeto social que foca na capacitação culinária.

 

2. Pitico

O bar e restaurante Pitico é formado por containers e cadeiras de praia, deixando o ambiente informal e intimista. Um desses espaços também é dedicado para shows.

Próximo ao Largo da Batata, o espaço era usado como estacionamento até que foi transformado em praça.

O cardápio, formado com pratos típicos da culinária árabe, é limitado, mas as opções de drinks o complementam perfeitamente.

 

3. Praça Victor Civita

A praça Victor Civita foi um projeto de intervenção social que recuperou o espaço que antes era usado como incinerador de lixo, conhecido como “Sumidouro”. A parceria público-privada entre a Prefeitura de São Paula e a Editora Abril transformaram os 15 m² contaminados em um parque arborizado e sustentável.

A construção foi feita pela empresa Levisky Arquitetos Associados e a arquiteta convidada Anna Dietzsch. Uma estrutura de aço, de maior parte reciclada, sustenta dois deques suspensos a um metro do chão. Um deque de concreto pré-moldado, que evita o desperdício, e outro fabricado com três espécies de madeiras certificadas, o ipê, a garapa e a sucupira.

O local tem atividades físicas gratuitas aos finais de semana. Considerado um museu vivo a céu aberto, possui exposições permanentes e oficinas sobre reabilitação ambiental.

 

4. Mercado Municipal de Pinheiros

O mercado municipal é sempre uma boa pedida para conhecer mais da cultura de uma região. Especificamente no de Pinheiros você irá encontrar as bancas do famoso chef Alex Atala com ingredientes típicos da Amazônia e outras regiões brasileiras.

A delicatessen Delika também é um dos destaques do local. O chef Bruno Alves, dono do local, se orgulha da proposta de criação colaborativa, na qual cada cliente encomenda seu próprio embutido com os ingredientes escolhidos. Dentre as iguarias, destacam-se o presunto cozido artesanal, o rosbife selecionado e os queijos artesanais.

 

Pinheiros é o melhor bairro de São Paulo na categoria “Gastronomia”, tanto em quantidade como em qualidade, de acordo com a Veja São Paulo. Todas essas opções de lazer, infraestrutura completa e facilidade de mobilidade tornam o bairro uma das regiões mais desejadas da cidade.

O distrito é uma excelente escolha se você pretende investir em um imóvel, não só pela qualidade de vida, como também é uma área em constante desenvolvimento, favorecendo a valorização dos imóveis.

Receba Novidades

Cadastre-se e receba as novidades do mercado imobiliário em seu email.